quinta-feira, 17 de junho de 2010

Vou correr, ser livre, parar de fingir, de me imaginar naquela ilha, apenas contigo, supondo que nao sou a pessoa que aparento. Gosto de falar contigo, mas destruo-te. Desculpa por tudo, eu prometo que mudo sei que sou capaz disso, tenho a certeza que sim. E por ti, correria o mundo inteiro, ia à Lua, tudo mesmo, apenas para não te perder. Se te perdesse, não sei como conseguiria respirar sequer. És a base de todos os meus sonhos, de todas as minhas esperanças, ensinaste-me a crescer e a sorrir a tudo o que nos corre mal. É a tua vez de correres de encontro aos teus próprios sonhos sem me deixares para trás nessa tua viagem contra o tempo perdido. Não me abandones, ama-me em vez disso, eu preciso de ti, mas só se vieres com a bagagem do passado, com todos os teus sonhos e aspirações juntamente, pois só assim és o meu Rei.

Sem comentários: